De “eterno reserva” a xodó da torcida: Conheça mais sobre Cuéllar

Gustavo Cuéllar chegou ao Flamengo no início de 2016, a pedido do então técnico Muricy Ramalho. O Mais Querido pagou ao Deportivo Cali-COL R$8 milhões por 70% dos direitos federativos do atleta. A expectativa é que chegaria para ser titular, melhorando o meio-campo rubro-negro.

No entanto, não foi isso que aconteceu. O colombiano demorou a se adaptar ao futebol brasileiro. Para piorar, quando Zé Ricardo foi alçado à condição de técnico do time, preferiu apostar em Márcio Araújo para jogar como primeiro volante da equipe.

Mesmo sem realizar grandes atuações, Cuéllar sempre contou com o apoio da torcida, que, constantemente, o pedia entre os titulares. Mas, como barrar um dos principais queridinhos do treinador? Com silêncio e muito trabalho.

De acordo com o portal Uol, o jogador de 24 anos começou a chegar mais cedo aos treinamentos e a aprender português sozinho (é o estrangeiro do elenco que melhor fala nossa língua). Mas, sem espaço, quase se transferiu para o Vitória.

A grande virada aconteceu no dia 28 de junho, quando recebeu passe de Guerrero e da entrada da área acertou um belo chute, no ângulo de Vanderlei, sacramentando a vitória de 2 a 0 do Flamengo para cima do Santos, pela ida das quartas de final da Copa do Brasil. Foi o primeiro gol com o manto sagrado.

Com o tento, passou a ganhar confiança. Com a saída de Zé Ricardo e chegada de Reinaldo Rueda, começou a ter sequência como titular. O treinador é fã do futebol do compatriota (convocado diversas vezes para a seleção colombiana). Assim, não é exagero dizer que Cuéllar caiu nas graças da torcida.

“O Gustavo [Cuéllar] é um jogador muito inteligente. Ele dá ordem e claridade ao início de jogo da equipe. Asseguro que crescerá ainda mais e dará um bom complemento para os outros jogadores. É muito gratificante observar as suas atuações. Que ele siga nessa linha de comportamento”, afirmou o comandante.


Veja mais:


Por trás da volta por cima dentro de campo, há o apoio da família nos bastidores. A mulher Gheraldin e o filho Paolo são a fonte de inspiração para o volante, que tenta deixar o seu nome cada vez mais marcado nos corações flamenguistas. Para aumentar o carinho, que tal um título? É isso que o colombiano vai tentar buscar, na noite desta quarta-feira (27), contra o Cruzeiro, no Mineirão. Um novo empate leva a decisão para os pênaltis (não há gol qualificado nesta fase da competição). Quem ganhar, leva o título.

Veja também

  • Joga muito! Uma covardia esse cara pegar banco para qualquer volante do elenco.

Comentários não são permitidos.