Mesmo com bom aproveitamento, público na Ilha do Urubu deixa a desejar

Buscando uma saída para os sucessivos prejuízos de atuar no Maracanã, e evitar a peregrinação por estádios, o Flamengo acertou mandar grande parte dos jogos desta temporada na Ilha do Urubu, no Rio de Janeiro. Até agora, dentro de campo, o desempenho é satisfatório. Foram 12 jogos, com nove vitórias, um empate e duas derrotas. Aproveitamento de 78%.

Na contramão disso, vem a questão da presença do público. A torcida tem mantido ocupação média de 59% do estádio, com 11.936 pagantes por jogo. Este índice fez com que o clube tivesse prejuízo nas últimas apresentações, contra Atlético-PR e Atlético-GO, pelo Campeonato Brasileiro. Ainda não foi divulgado do borderô da partida contra o Sport, no último final de semana. Porém, se espera outro déficit, já que apenas 7.220 pessoas pagaram para ver a peleja.

Uma chance de mudar este panorama é encher a Ilha para o confronto contra o Chapecoense, nesta quarta-feira (20), pela volta da Copa Sul-Americana. No entanto, na última parcial divulgada pelo clube, apenas 5.000 entradas foram vendidas. Como é tradicional, o setor norte (mais popular) já está esgotado.


Veja mais:


A questão traz à tona a política de preços praticada pela gestão Eduardo Bandeira de Mello. Para o embate contra a Chape, houve uma promoção. Mas, ela só é aplicada ao sócio torcedor. O não associado continua pagando o mesmo valor (em média R$100).

Veja também

  • Acho que isso é o reflexo do time que não empolga, eu mesmo não pago para ver esse time.

  • Mesmo que fosse o dobro do preço ainda assim seria uma vergonha não colocar nem 15 mil pessoas na ilha, isso vai além dos preços, é algo a ser considerado na construção do novo estádio, boa localização é fundamental, tem que ser algo atrativo como entretenimento com algum diferencial, o resto é balela, neguim fica soltando bravatas de que acompanha o time até na coreia do norte, mas não vai nem na ilha.

  • Na maior crise da história desse país, com RJ no centro do turbilhão e EBM com essa precificação. Chega a ser cruel.

  • o que a Torcida do flamengo não quer admitir é que é vergonhoso uma nação não botar nem 10 mil pagantes num estadio de 20 mil pessoas, gente o ingresso é caro mesmo mais para o Sócio torcedor é bem mais barato um preço bom e a torcida não consegue levar nem 10 de sócios torcedores, então é vergonha sim..

  • Culpa da política burra de preços.

    Sócio-torcedor só vai no filé-mignon e o torcedor “comum” que não é “estudante” não vai pagar 120 pratas pra ver “clássico” com Atlético-GO, Chapecoense, Vitória-BA, porque ele não é trouxa.

    Se fosse uma política de preço inteligente esses jogos teriam promoções melhores pra deixar o estádio sempre cheio. Mas não.

Comentários não são permitidos.