Governo Federal deve emitir documento nos próximos dias para retorno do futebol em maio

FOTO: AGÊNCIA BRASIL

A CBF e os clubes da Série A estão aguardando uma portaria do Governo Federal com autorização do Ministério da Saúde para o retorno do futebol em maio, sem público, mesmo diante do aumento de casos do novo coronavírus no Brasil. O documento deverá ser emitido nos próximos dias, especificamente entre sexta e segunda-feira, de acordo com informações do jornal “O Globo”.

Com a portaria publicada, contando com o respaldo do presidente Jair Bolsonaro, faltaria apenas o aval das autoridades de cada Estado e Município para a retomada das atividades e dos campeonatos. No Rio, Flamengo, Vasco e Fluminense sinalizam com o interesse de voltar aos treinos e já tentam convencer o governador Wilson Witzel e o prefeito Marcelo Crivella a seguirem o mesmo caminho do Governo.

Jair Bolsonaro chegou a comentar sobre a situação e se mostrou favorável ao retorno do futebol brasileiro. Durante conversa com jornalistas em frente ao Palácio da Alvorada, na última segunda-feira (27), o presidente afirmou que aprovaria a volta das competições e atividades e ainda revelou que foi procurado por “autoridades do futebol”.

– Se depender do meu voto, eu aprovo. Logicamente, com parecer técnico do Ministério da Saúde. Que acho que será favorável. Começar a realizar os treinamentos. Começar, em um primeiro momento, com portões fechados. No que depender de nós, vamos fazer as coisas com bastante responsabilidade, com parecer do Ministério da Saúde. Já fui procurado por autoridades do futebol. Está sendo trabalhado neste sentido aí -, disse Bolsonaro.


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


Em meio à possibilidade de retomada do futebol, a CBF se reuniu com as federações estaduais nesta terça-feira (28). Durante as conversas, o presidente da entidade, Rogério Caboclo, sugeriu que as filiadas tentem providenciar o retorno dos campeonatos para o dia 17 de maio (domingo). Vale frisar, porém, que a volta vai depender do aval das autoridades de cada cidade ou estado.