Jornalista defende ‘ataque posicional’ do Flamengo e aponta: “Problema está no sistema defensivo”

FOTO: LUCIANO BELFORD / AGÊNCIA O DIA

O Flamengo é apontado, por muitos, como o principal candidato aos títulos que disputa, como Campeonato Brasileiro, Libertadores da América e Copa do Brasil. Porém, Domènec Torrent aparenta ainda estar se adaptando ao calendário insano do futebol brasileiro e tem recebido críticas por conta de seu sistema tático, como o famoso “jogo posicional“. O jornalista Rodrigo Coutinho falou sobre o tema.

 

Através de seu blog no Uol Esporte, Rodrigo desmistificou as críticas sobre o ‘ataque posicional’, negando que isso engesse o time do Flamengo. Os números, por exemplo, jogam a favor disso, como o fato de o Rubro-Negro ter o melhor ataque do Brasileirão. Para o jornalista, o grande problema está no sistema defensivo, um dos piores da competição nacional.


Aproveite a boa fase do Flamengo para lucrar!


A expressão “ataque posicional” ganhou espaço no debate sobre futebol no Brasil nos últimos meses. Na boca de torcedores ou comentaristas, a forma de atacar, que, diga-se, não é novidade por aqui, foi massacrada por muitos como algo que ”engessaria” ou tornaria o time do Flamengo mais previsível, prejudicando o desempenho do melhor elenco do país. Um grande serviço de desinformação e até mesmo uma confusão semântica“, ponderou. Ele ainda continuou:

Tite, na Seleção, Dorival Junior, Jorge Sampaoli e Maurício Barbieri são apenas alguns nomes que já implementaram este modelo ofensivo aqui no Brasil. Por vezes com sucesso, em outras sem êxito. Como em tudo no futebol, a ideia por si só não é a responsável pelo bom ou mau desempenho. Precisamos avaliar a execução de tal proposta. Para isso é fundamental entendê-la, e não a deturpar“, apontou.

Problema do Flamengo não é ‘ataque posicional’, e sim seu sistema defensivo. O Flamengo é o time com o melhor ataque do Campeonato Brasileiro 2020, o que cria mais chances nítidas, o que mais acerta passes, o que tem melhor aproveitamento nos dribles. Como vemos, ”engessado”, ”previsível” e ”burocrático”, alcunhas designadas ao ataque posicional nas últimas semanas, não são adjetivos que podem ser aplicados ao coletivo do rubro-negro“, escreveu o jornalista antes de prosseguir:

O que impede este Flamengo de ser mais competitivo é o comportamento no momento defensivo. Sem a bola, Domènec precisa fazer o time evoluir na pressão que exerce sobre o adversário que tem a posse. A intensidade avassaladora ao subir as linhas de marcação ficou nos primeiros meses de 2020. O catalão pede o mesmo movimento, mas a forma com que ele é feito deixa muito a desejar“, encerrou.

Em busca de títulos, Domènec prepara o Flamengo para o jogo contra o Athletico-PR. O embate acontece às 21h30 (horário de Brasília) desta quarta-feira (04), no Maracanã. O confronto é válido pela segunda e decisiva partida das oitavas de final da Copa do Brasil. O primeiro duelo terminou 1 a 0 para o Mengão, que agora precisa de apenas um empate para se classificar às quartas de final.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Essa sua comparação é bem absurda mauro. Esses 2 jogos não servem de parâmetros porque no primeiro o jj tinha acabado de chegar, e o segundo o time já estava campeão e com a cabeça na outra decisão. Veja meu comentário embaixo. SRN2020.

  • Quer encontrar uma mulher para uma noite? Bem – vindo ao — S︆︆e︆︆xc︆︆o︆︆n︆︆t︆︆.︆︆C︆︆o︆︆m

  • O sistema defensivo do JJ era tão impecável que tomou 3×0 do Bahia e 4×0 do Santos…
    Então não me venham com essa de comparar os dois times.
    O sistema defensivo de qualquer time começa na aproximação entre as linhas e na recuperação pós perda da bola, lá no ataque. Isso só acontece com repetição e treinamentos.
    Jorge Sampaoli, adepto do jogo posicional, treina o Atlético MG desde maio. Teve pré-temporada, foi o primeiro clube da série A a retornar aos treinos, tem somente uma competição e a semana inteira para treinar e recuperar os jogadores. Ontem tomou de 3×0, e foi pouco…

  • Quem acha que futebol se resume a escalar jogadores não deveria nem comentar sobre tática, é um pensamento limitado demais achar que é só escalar jogador em tal posição e a mágica vai acontecer… O comentarista foi perfeito em sua análise, é exatamente o que eu penso faz muito tempo, o problema do time tá na marcação, a forma como joga sem a bola… Isso ficou EVIDENTE no jogo de domingo, time arame liso, só cerca, não agride, deixa o adversário à vontade para pensar e executar jogadas, tá muito errado essa marcação.

  • O problema da defesa é o técnico que não entende nada do assunto. Lembram quando chegou e foi logo botando o Rodrigo caio na lateral direita? Preciso dizer mais? O sist defensivo de JJ era impecável! E ele usava os dois g Henrique e l pereira mais o thuler. No entanto nossa defesa dificilmente tomava gols. E qdo tomava!… Haja ouvidos p escutar… Contra o SP ele nem orientou a posição do Arão p o excelente jovem João gomes (esse tem futuro!). Por isso os 2, juntos c nosso lateral ofensivo na direita, deixaram buracos p o SP entrar. Ou seja, buracos no meio e na direita. Tudo por falta de treinamentos de reposição da defesa antes do jogo; e pensar q ele desperdiçou aquela sexta-feira q poderia ser p sanar esse defeito devido as faltas de Arão principal/ e t maia. Se ele botasse o gerson no lugar do Arão e, talvez o próprio j gomes mais s frente… Enfim, esse dome foi contratado a preço e cartaz de lebre, porém acabou se revelando um tremendo gato!… (???) (rsrs…).