Felipe Melo apoia atitude de Gerson em caso de racismo, mas pondera: “Temos que ter muito cuidado”

FOTO: ALEXANDRE VIDAL/FLAMENGO

A virada histórica do Flamengo sobre o Bahia por 4 a 3, neste domingo (20), no Maracanã, que deveria ser a grande pauta, ficou totalmente sem segundo plano o caso de racismo sofrido pelo meia Gerson, que falou sobre o ocorrido após a partida, acusando o colombiano Ramirez, que se manifestou sobre o ocorrido somente nesta segunda (21). Após manifestações de diversos atletas, Felipe Melo, jogador do Palmeiras, falou sobre o caso.


Quem será o próximo a perder para o Mengão? Saiba como lucrar com previsões esportivas!


Eu sou totalmente contra esse tal de racismo! É uma vergonha muito grande em pleno 2020, quase 2021 e ter pessoas usando dessa vergonha… Não tenho adjetivo pra usar com uma pessoa que faz uma situação dessa. Eu queria entender o outro lado. Se ele foi contra o Gerson, nesse momento, e falou cala boca, negro como um ato racista, tem que pagar mesmo por isso.

Temos que ter muito cuidado. Eu não me manifestei porque em nenhum momento vi o próprio Ramírez, agora eu vi uma entrevista e ele está negando, mas eu entendo o lado do Gerson. De repente, no calor do jogo, ele entendeu aquilo dali. No mundo de hoje, temos que tomar cuidado com o que a gente fala porque ontem, chamar uma pessoa de negão ou de negro, era uma coisa, hoje é diferente. Tem que ter o respeito e sou totalmente contra isso —, finalizou.

Quem também falou sobre o caso e revelou como foi o clima no vestiário, foi o técnico do Mais Querido, Rogério Ceni. Além de incentivar a manifestação do meia sobre o caso, o treinador disse que pela maneira com que foi descrita a situação, ficou clara a maneira negativa da fala do jogador adversário.

— Pela maneira que o Gerson me relatou, fica muito clara a maneira que o Ramírez tentou colocar de forma negativa a frase que ele falou.

Também em entrevista, o vice geral e jurídico do Fla, Rodrigo Dunshee, detalhou como irá conduzir o caso e mostrou que o clube presta total apoio ao atleta. Ainda segundo o dirigente, já houve uma orientação de uma delegada para dar prosseguimento ao caso na justiça e que o treinador, Mano Menezes, também tem sua responsabilidade.

Nós vamos para a delegacia para que o jogador tenha um pouco de tranquilidade, pra ele saber que o Flamengo está perto, apoiando ele. O processo criminal começa amanhã, mas não sabemos quando termina. O Flamengo vai estar olhando para esse caso até o fim. 

— Eu acho que o Mano Menezes tem tanta culpa quanto o Ramires, pela forma totalmente insensível que ele tratou o nosso atleta diante de uma informação clara e a audível que ele recebeu de que o garoto tinha sido ofendido racialmente. Nós pedimos a punição máxima para ambos —, finalizou.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *