Acusado de racismo por Gerson, Índio Ramírez rompe ligamento do joelho e fica fora por seis meses

FOTO: FELIPE OLIVEIRA/EC BAHIA

Acusado de racismo por Gerson, o meia Índio Ramírez, do Bahia, está fora da reta final do Campeonato Brasileiro. Depois de sair de campo machucado na última quarta-feira (03), diante do Fluminense, o colombiano foi examinado e o resultado detectou o rompimento do ligamento cruzado anterior do joelho. A informação foi divulgada primeiramente pelo jornalista colombiano Jorge Piscis.

O Bahia confirmou a lesão do atleta, informando ainda que ele passará por uma artroscopia. Desse modo, a previsão é de que o jogador se recupere em um período de seis meses. Lembrando que o colombiano tem contrato até dezembro deste ano com o Tricolor baiano.


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


Caso de Racismo
Na última quinta-feira (04), a Polícia Civil do Rio de Janeiro indiciou Ramírez por injúria racial ao volante Gerson, do Flamengo. Em jogo entre o Rubro-Negro carioca e Bahia, no dia 20 de dezembro, no Maracanã, o jogador do Mais Querido alegou ter ouvido “cala a boca, negro” do colombiano.

A polícia informou que as testemunhas do caso de racismo já foram ouvidas e que a análise das imagens da partida mostram a indignação imediata do volante rubro-negro. Ramírez negou a injúria na época, alegando que teria dito “joga rápido, irmão”. Em um primeiro momento, o clube baiano prestou solidariedade a Gerson e afastou o colombiano, mas, dias depois, o reintegrou.

Após a decisão da Polícia Civil, de indiciar Índio Ramírez, o ECB emitiu nota, se posicionando a favor de seu atleta. Com a denúncia instaurada, o caso vai seguir caminho diferente do STJD. Isso porque, na última quarta-feira (03), três atletas do Fla não compareceram ao tribunal para prestar depoimento e, por este motivo, o inquérito foi fechado sem o posicionamento de Gerson.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Castigo…