Flamengo ‘briga’ contra orçamento para tentar sacramentar negociação com Rafinha

FOTO: ALEXANDRE VIDAL / FLAMENGO

O Flamengo procura reforçar ainda mais o elenco já estrelado. Parte dos dirigentes rubro-negros deseja a contratação do lateral-direito Rafinha, enquanto outro lado da cúpula diretiva é contrário ao reforço. O grande motivo do imbróglio é o orçamento do clube carioca para 2021.

 

O Departamento de Futebol do Flamengo aguarda a autorização do Financeiro e do presidente Rodolfo Landim, com o intuito de sacramentar a contratação. Contudo, o retorno positivo ainda não foi dado, pois o orçamento do Rubro-Negro para 2021 está bastante apertado, conforme informou o jornal O Dia.


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


Todo mundo aqui dentro sabia desde o início que não tínhamos dinheiro para isso. Se alguém alimentou algo diferente é outro problema (dos outros)”, disse um membro da cúpula do Flamengo à reportagem do O Dia, antes de prosseguir: “Veja o nosso balanço. A pandemia afetou demais os clubes aqui. E qual é a perspectiva de retorno de público? Sabe-se lá… Esta realidade foi apresentada em outubro e em janeiro a todos os conselhos do clube. Se alguém falou algo diferente foi por sua conta e risco“.

No entendimento dos dirigentes contrários à contratação de Rafinha está o fato de o Flamengo já ter um alto custo com Maurício Isla. Devido à falta de dinheiro, essa parte da diretoria alega que a queda de receita por conta da pandemia do novo coronavírus atrapalha altos investimentos. Por outro lado, tem quem defenda que Isla irá desfalcar bastante o Rubro-Negro ao longo da temporada, pois será convocado inúmeras vezes pela Seleção Chilena.

Nesta indecisão, o Flamengo analisa friamente a possibilidade de contratar o lateral-direito. Rafinha, por sua vez, afirma já ter aceitado a proposta do Rubro-Negro, o que pressiona ainda mais os dirigentes. Porém, no momento, a contratação ou não do defensor depende da análise crítica do Departamento Financeiro e do aval de Rodolfo Landim.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Usar a pandemia para não assumir os erros é bem a cara desses diretores e conselheiros que estão aí. A pandemia contribuiu sim para esse déficit financeiro, mas perder quase tudo que disputou no segundo semestre foi a maior causa. Apostas erradas em Dome e Ceni afundaram o planejamento, com eliminações precoces na Liberta e Copa do Brasil. Mas parece que não aprenderam nada. Continuam insistindo nos erros. Foi Natan e seguraram outros. Vão perder Rafinha, depois saem desesperados a procura de lateral, como fizeram com Isla que até agora não mostrou a que veio.

  • A diretoria do CR Flamengo precisa pensar grande sem cometer loucuras. O Mais Querido é o clube que mais atrai atenção e tem mais potencial de gerar recursos, apesar da pandemia. Um exemplo claro de como o clube pode captar dinheiro é o uso adequado do banco digital do Flamengo. Sem público no estádio e com o sócio-torcedor despencando, dá para melhorar muito a captação de dinheiro por meio desse banco. Mais precisa mais transparência. Conheço rubro-negros que fizeram o aporte de mais de 100 mil reais na corretora Genial Investimentos( que está longe de ser a melhor do mercado), que é quem recebe o TED do Banco Nação Rubro-Negra( tudo isso para ajudar o Mais Querido). Qual a vantagem que é revertida para o clube desse aporte de dinheiro para a corretora via banco digital do Flamengo? Para essa galera que tem renda alta e investe no mercado financeiro com centenas de milhares de reais pela corretora Genial Investimentos, por que o banco digital não oferece um cartão de crédito sem anuidade com exigência de gastos mensais altos para obter essa isenção? Eu mesmo aderiria a esse cartão. Enfim, há muitos torcedores querendo ajudar o clube, mas falta criatividade do setor financeiro. O gerente do banco do BRB não dá as caras para falar sobre essas opções para o banco digital do Flamengo crescer. Ele só fala no cartão pré-pago com uma alta taxa para recarga, o que não atrai ninguém.

  • É de uma incoerência absurda usar o orçamento como argumento para vetar a contratação do Rafinha, que pode agregar tanto dentro como fora de campo na busca do Flamengo por títulos.
    Digo isso porque no orçamento consta algumas metas ousadas como conquistar alguns títulos expressivos, chegar longe na Libertadores… Ou seja, estão contando com possíveis premiações por desempenho do time ao longo da temporada.
    Se precisam disso, então qual o motivo de não contratar Rafinha?