Sem Rodrigo Caio, Gustavo Henrique se torna zagueiro de referência em início de Ceni na temporada 2021

FOTO: ALEXANDRE VIDAL/FLAMENGO

Da falta de confiança gerada pelas falhas cruciais à referência na zaga sob o comando de Rogério Ceni, assim se faz a passagem de Gustavo Henrique pelo Flamengo em 41 jogos. O defensor foi titular em 16 partidas após a saída de Domènec Torrent e, em 2021, se torna uma das peças-chaves de um setor ainda desfigurado.

O setor defensivo, bastante questionado em 2020, é onde o Flamengo mais sofreu alterações até o momento. Na última segunda-feira (15), Natan se despediu do clube rumo a Bragança Paulista, e Thuler, outra cria do Ninho, também está de malas prontas com destino ao Montpellier. As negociações podem render cerca de R$ 45 milhões aos cofres da Gávea.

Entre partidas, o clube também se modifica pelas chegadas. O zagueiro Bruno Viana, de 26 anos, emprestado pelo Braga, desembarca no Flamengo com a missão de encontrar espaços para se firmar na titularidade.


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


Além disso, Rodrigo Caio, intocável em sua posição, se recupera de uma grave lesão e deve demorar para estrear na temporada. Assim, Gustavo Henrique ganha a responsabilidade de ser o zagueiro de origem referência para o treinador rubro-negro – muito provavelmente ao lado de Arão, improvisado no setor.

O Flamengo sofreu 16 gols com Gustavo Henrique na zaga sob o comando de Rogério Ceni. Atuou seis vezes ao lado de Willian Arão e foi vazado apenas em duas. Em outra oportunidade, entrou como substituto de Rodrigo Caio.

Em meio às incertezas no setor, é pouco provável que Rogério Ceni faça muitas mudanças e se arrisque além do óbvio. Com isso, Gustavo Henrique encara a temporada 2021 como a maior chance de se firmar e, quem sabe, se tornar unanimidade entre torcedores.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Não sei pq, mas esse Gustavo Henrique me lembra tanto Júnior Baiano, mas acho q tô viajando um pouco, pelo menos tô em dia com cardiologista, custa nada né.

  • Melhor testar o Bruno!!!

  • Deixe-me ver se entendi: ao mesmo tempo em que ficamos com dois zagueiros contestados (o Gustavo ainda dá para tolerar, em vista do jogo aéreo), abrimos mão de duas excelentes pratas da casa! Perguntem aos dirigentes do Montpelier e do Bragantino, se eles querem Gustavo Horrível e Léo Pereba no lugar destes jovens?
    Mais uma vez: essa diretoria é uma b****!

  • A birra ta torcida é justamente com a manutenção do LP e GH no elenco: dois jogadores claramente com insuficiência técnica para jogar no Flamengo. Natan para a maior parte da torcida passou MUITO mais confiança quando entrou do que LP e GH. Há uma toletância absurda do Rogério Ceni com os erros dessa dupla. E pouquíssima paciência com o Natan.

    Por isso sua venda não faz o menor sentido: Natan JAMAIS deveria ser a quinta opção da zaga, muito menos vendido — ainda por cima por esse valor esdrúxulo.

  • Nao entendi pq o setor ta desfigurado. Thuller ja nao era usado a tempos, o Natan é uma excelente promessa ( que sera vendida mto barato), mas em termos de uso o rogerio via ele atras do Caio, Arao, GH e agora tem o Bruno viana ele seria a 5 opcao de uso.

    Entao nao tem nada de desfigurado, pode pensar que o setor precisa melhorar, mas sairam 2 jogadores que foram pouco usados…