Duelo de gigantes? Pedro salva Flamengo contra a Portuguesa e é exaltado por Gabigol

ALEXANDRE VIDAL/FLAMENGO

Na noite deste sábado (17), o Flamengo empatou em 2 a 2 com a Portuguesa, em jogo válido pela 10ª rodada do Cariocão. Após sair em desvantagem no marcador, o Mais Querido foi salvo por Pedro. O atacante fez brilhar a sua estrela no duelo, marcou os dois gols do Rubro-Negro no confronto, garantiu o empate e a retomada temporária da liderança da tabela. Ao final do embate, o camisa 21 foi exaltado por Gabigol, titular da posição.

VEJA OS GOLS DO FLAMENGO NA PARTIDA:

Pedro chegou ao Flamengo com status de “reserva de luxo” e conhecido como “sombra” para Gabigol. No entanto, com muita maturidade, ambos demonstraram não haver briga de ego para a posição, e se apoiam no dia a dia em busca do melhor para o Rubro-Negro. Neste sábado, não foi diferente. Gabi, poupado para a estreia na Libertadores, viu Pedro assumir a titularidade e salvar o Mengo de um vexame no Cariocão. Ao final do duelo, o camisa 9 usou o seu Twitter para exaltar a atuação do camisa 21, e publicou: “PEDROOOOOO”, em espécie de vibração, seguido de vários emojis de coração.

Com os dois gols de Pedro e empate no marcador, o Flamengo chegou aos 20 pontos e retomou a liderança do Campeonato Carioca. Já classificado para as semifinais, o Mengo aguarda o fim da rodada para conhecer seu adversário na próxima fase do torneio estadual.


Aproveite a boa fase do Flamengo para lucrar!


Enquanto as semifinais do Cariocão não chegam, o Flamengo está de frente para o desafio mais importante do ano: o jogo contra o Vélez, da Argentina, pela estreia na Copa Libertadores. A partida será disputada na próxima terça-feira (20), às 21h30 (horário de Brasília), em Buenos Aires.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Gabigol e Pedro podem e,
    nesse momento, deveriam
    jogar juntos no time titular.
    Sairia Éverton Ribeiro, que
    passaria a dispor de tempo
    para recuperar a sua forma
    física e técnica, pois tem
    jogado muito abaixo do
    que sabemos que ele é
    capaz. O sistema idealizado
    por Rogério é bastante
    inteligente, do ponto de vista
    teórico, entretanto, parece
    não ter sido compreendido por
    parte dos torcedores e, talvez,
    dos próprios jogadores.
    É ocioso constatar que
    esse sistema torna o
    Flamengo mais vulnerável defensivamente, pois a
    tese inerente ao próprio
    modelo é a de que o
    aumento do poder
    ofensivo compensaria
    vantajosamente a redução
    da capacidade defensiva,
    ou seja, as chances de sofrer
    gols aumentariam muito
    menos que as possibilidades
    de fazer gols. Assim, a
    proposta de jogo de Ceni é
    extremamente criativa, não
    podendo ser analisada com
    conceitos válidos somente
    para outros sistemas de jogo
    (não é possível analisar o
    desempenho do Flamengo
    a partir de parâmetros válidos
    para o Palmeiras, pois as
    funções atribuídas às peças,
    aos jogadores, quase sempre
    são distintas). Entretanto,
    face à pressão que o técnico
    do Flamengo está sofrendo externamente, com esse
    bombardeio de torcedores
    que gostariam de vê-lo
    substuído por Renato Gaúcho,
    Rogério deveria recuar de
    sua proposta, organizando o
    Flamengo para jogar
    pragmaticamente, no 4 1 4 1.
    Não dá para implementar
    uma forma totalmente
    inovadora como a imaginada
    por Rogério Ceni no calor
    de um torneio como a
    Libertadores, e sob pressão
    negativa de grupos de
    torcedores.