Com direito a hepta do Fla, finais do NBB garantem mais de 510 árvores recuperadas na natureza

FOTO: GILVAN DE SOUZA/FLAMENGO

Por: Nathalia Coelho

A última quinta-feira (27) foi repleta de Flamengo. Além do 0 a 0 contra o Vélez Sarsfield, pela Libertadores, e da derrota de 3 a 0 para o Corinthians, pela décima rodada do Brasileirão Feminino, o Orgulho da Nação atropelou o São Paulo e conquistou o Novo Basquete Brasil (NBB) pela sétima vez em sua história. Patrocinado pela Moss, o torneio nacional realizou uma ação visando o meio ambiente.

Para as finais do NBB da temporada 2020-2021, a Moss Earth decidiu que, a cada cesta de três pontos convertidas tanto pelo Flamengo quanto pelo São Paulo, investiria em um ‘Burnt Token’, o equivalente a sete árvores recuperadas na natureza. A iniciativa tem o compromisso de ajudar a mudar o cenário de aquecimento global, preservar florestas e desenvolver a economia do Brasil.

O Rubro-Negro fechou a série melhor de cinco com três vitórias. Na primeira partida, as equipes somaram 29 cestas de três convertidas. No segundo duelo, os times totalizaram 20 bolas de três. Já no terceiro e último confronto, os clubes efetuaram juntos 24 lances de três. Sendo assim, 511 árvores podem se considerar recuperadas.


Saiba como se dar bem duplamente com vitórias do Flamengo!


CONFIRA OS NÚMEROS:

Jogo 1
Cestas de três do Flamengo: 16
Cestas de três do São Paulo: 13
Total: 29 = 203 árvores

Jogo 2
Cestas de três do Flamengo: 15
Cestas de três do São Paulo: 05
Total: 20 = 140

Jogo 3
Cestas de três do Flamengo: 14
Cestas de três do São Paulo: 10
Total: 24 = 168

Jogos 1, 2 e 3 = 511 árvores

Cabe lembrar que além do NBB, a Moss também é patrocinadora oficial do Flamengo. Em abril, foi anunciada parceria firmada para o futebol masculino e feminino do Fla. Não satisfeita, a empresa estreitou ainda mais os laços com o clube da Gávea e estendeu o patrocínio para os esportes eletrônicos e também para o basquete rubro-negro.

SOBRE A MOSS:

A Moss Earth é um fintech que vende créditos de carbono em plataformas on-line e, todo valor negociado, é revertido para projetos de preservação da Amazônia. Fundada em 2020, a empresa desenvolveu uma plataforma que converte créditos de carbono em tokens (MCO2), que são distribuídos através de criptomoedas.

Cada token de MCO2 representa uma tonelada de crédito de carbono. Ou seja, quem compra esse crédito pode revender ou usar em ações para preservar a floresta amazônica. No caso do Flamengo, a parceria faz com que as emissões sejam compensadas, e o Fla se torne o maior clube carbono neutro do mundo.

Veja também