Candidato à presidência pede união de concorrentes para definir treinador do Flamengo de 2022

FOTO: REPRODUÇÃO

Os bastidores do Flamengo estão fervendo por ser ano de eleição – pleito está marcado para dezembro. Através de carta aberta, o candidato à presidência Walter Monteiro pediu união entre os concorrentes na escolha do novo treinador rubro-negro para 2022.

Walter utilizou a rede social do Twitter para escrever: “Carta aberta! Ainda vamos ser campeões esse ano, mas é preciso olhar para a frente e planejar a temporada de 2022. A Frente Fla Maior convoca a Chapa UniFla, Marco Aurélio Assef e Ricardo Hinrichsen para que a escolha do treinador do próximo mandato seja um consenso de todos os candidatos“.


As melhores ofertas para produtos do Flamengo: aproveite desconto e brindes!


Além disso, o candidato à presidência do Flamengo elaborou textualmente tópicos para solicitar a união: “A profissionalização do departamento de futebol do Flamengo é o salto definitivo para nos transformar no time mais vencedor do continente”, ponderou. Em outro trecho, ele diz: “Nenhum treinador terá os estímulos adequados para assumir os desafios do Flamengo nas próximas temporadas se não tiver a tranquilidade necessária para a certeza de que sua escolha representa um consenso dentro do clube”.

Vale frisar que Renato Gaúcho pediu demissão após a eliminação do Flamengo na Copa do Brasil, nessa quarta-feira (27), quando o Mengão perdeu por 3 a 0 para o Athletico-PR. Os dirigentes rubro-negros, contudo, convenceram o treinador a permanecer para o restante da temporada. Os torcedores, no entanto, têm criticado com frequência o trabalho do comandante, que não sabe se fica no clube carioca em 2022.

CONFIRA A ÍNTEGRA DO TEXTO:
“UNIDADE PARA EVOLUIR!
A profissionalização do departamento de futebol do Flamengo – isto é, a contratação dos melhores profissionais por critérios técnicos e objetivos, o afastamento dos palpiteiros e representantes de grupos políticos na tomada de decisões importantes, a nomeação de um Executivo Geral do Futebol com autonomia plena para gerir o departamento, como acontece nos clubes mais importantes do mundo – é o salto definitivo para nos transformar no time mais vencedor do continente. Essa escolha os associados farão em dezembro, podem optar entre o compromisso com a mudança da governança do clube ou seguir apostando no clube dos amigos, do compadrio e do amadorismo dando as cartas. Mas uma escolha não pode esperar: quem vai ser o treinador ano que vem? Eu reconheço as dificuldades do presidente Landim em encontrar os melhores profissionais nesse momento. Afinal, há uma eleição no meio do caminho e bons profissionais gostam de estabilidade e horizonte longo para seus trabalhos. O papel de uma oposição construtiva é ser propositiva nos momentos difíceis, mostrar que a unidade em cima de propósitos é essencial em um clube que pretende se destacar dos demais. 

Nenhum treinador terá os estímulos adequados para assumir os desafios do Flamengo nas próximas temporadas se não tiver a tranquilidade necessária para a certeza de que sua escolha representa um consenso dentro do clube. Principalmente treinadores de ponta, vindo de outras culturas, que devem exigir contratos longos. Para isso, faço um chamado público ao atual presidente: convoque os candidatos de oposição para discutirmos, juntos, o planejamento da próxima temporada, especialmente quanto à definição da comissão técnica que irá nos conduzir às conquistas que merecemos. Nós somos o Flamengo e unidos somos muito fortes. Por fim, mas não menos importante: quero reafirmar minha convicção absoluta na conquista do Campeonato Brasileiro e da Copa Libertadores. A bravura, a coragem e a determinação em vencer são a marca registrada desse time que tanto nos encanta e não há razões para duvidar dos nossos jogadores. Essa carta pública é uma convocação para que o nosso futuro seja ainda mais lindo que o nosso presente, que tão lindo é.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Concordo com meu colega mais um querendo tirar proveito da crise do mengao esses não merece o voto da nação aliás esse aí aliado de Kleber Leite Patrícia Amorim não era nem para passar na porta do mengao eles que acabaram com o Flamengo. Agora que o clube está organizado qurem tirar proveito. Sei que queremos ganhar mais a temporada não aca b ou ainda estamos na final da libertadores e vamos ser campeão.

  • Não é o momento de candidato falar sobre treinador, não um dia depois da eliminação.

  • Espertalhão é o BRAZ que quer continuar com o RENATO GAÚCHO para ñ perder a boquinha. Na verdade só está pensando nele. E o Flamengo que se lixe. Todos estão vendo que o RG ñ tem a mínima condição de ser técnico do Flamengo

  • MAIS UM ESPERTALHÃO QUERENDO TIRAR PROVEITO DA CRISE, SÓ PELA SUA
    POSTURA DIANTE DA GRAVIDADE DO MOMENTO, JAMAIS TERIA MEU VOTO, ESTE É UM
    ESPELHO PERFEITO DOS EDMUNDO SANTOS DA VIDA QUE ENTERRARAM MEU MENGÃO
    DESSE TIPO DE PESSOA A TORCIDA QUER DISTÂNCIA, QUE ESSE TIPO DE GENTE JAMAIS
    VOLTE A DIRIGIR O FLAMENGO.