‘Treta’ entre Ninho x Gávea fez Flamengo cortar em mais de R$ 20 milhões a verba para técnicos

Na saída de Jorge Jesus, dirigentes do Ninho do Urubu e da Gávea se dividiram, e o clube sofreu queda drástica no orçamento para buscar um novo técnico


Desde que o Flamengo oficializou a demissão de Renato Gaúcho, diversos nomes estão sendo especulados no clube, entre eles: Marcelo Gallardo, do River Plate, Carlos Carvalhal, do Braga (POR), e o principal pedido da Nação, a volta de Jorge Jesus. O assunto ‘novo treinador’ foi abordado no Seleção Sportv desta terça-feira (07), e o jornalista Eric Faria revelou detalhes da ‘treta’ envolvendo dirigentes do Ninho do Urubu e da Gávea na época em que o Mister deixou o clube, que culminou em uma queda de orçamento de mais de R$ 20 milhões (na cotação atual) para buscar um novo comandante.

A diretoria entre Ninho do Urubu e Gávea se divide. Uma parte queria o Miguel Angel, que estava saindo do Del Valle, e o departamento de futebol do Flamengo entendia que deveria ser um técnico português, que tivesse uma metodologia parecida com o Jorge Jesus, até porque não ia ter muito tempo de adaptação, talvez fosse a melhor escolha. E aí o Marcos Braz parte pra Europa com o mesmo orçamento, na cabeça dele, que ele pagava ao Jorge Jesus, que renovou por 4,5 milhões de euros/ano, ele e a comissão técnica. Quando o Braz chega à Europa, a Gávea não queria um português, queria o Miguel Angel, e o que ela faz? Corta o orçamento -, disse, antes de prosseguir:


Camisas do Flamengo, acessórios e muito mais: compre e ganhe brindes na melhor loja online do Mengão!


No departamento financeiro entendia que se pagava esse valor porque era o Jorge Jesus, era o camisa 10, tinha que pagar. Mas para trazer outro por esse valor, não? E aí corta o orçamento para 1,3 milhão de euros, cai em 2/3 o orçamento. O Flamengo tinha agendado uma entrevista com o Leonardo Jardim, mas com 1,3 o Leonardo Jardim não senta nem pra tomar um café. Com 4,5, era possível que o Flamengo negociasse com o Jardim, que estava desempregado. Bom, sobrou, em tese, o Carvalhal, que era a segunda opção. Ele faz duas, três reuniões, e fala “ok, eu vou”. E o Flamengo fala “ótimo, achamos a pessoa que a gente queria”. Só que o Brasil vivia um momento muito crítico da pandemia, e na ultima reunião, o Carvalhal quase chora pra dizer não. E o Flamengo fica: “e agora?” E aí aparece o Dome -, contou.

Com a reeleição de Rodolfo Landim e a pressão da torcida pela volta do ‘Flamengo vencedor’, dirigentes precisarão buscar um consenso e rever o orçamento para o técnico da próxima temporada. Com três nomes fortes no radar, o Mengo estuda o mercado em busca da melhor opção.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • Urubu Rei, costumo ler seus comentários porque são bons, por isso resolvi dialogar com o
    colega rubro negro sobre este assunto. Hoje nesta coluna foi noticiado a seguinte matéria.
    “conselho disponibiliza 100 milhões para contratações”, agora, imagine se o depto de
    futebol resolver contratar um técnico que o conselho “não goste”, ai os caras reduzem no
    peito o valor do orçamento de 100 para 98 milhões, Rei isso é muito sério, e foi isso que o
    Eric Faria disse, admito que eu possa estar errado, mas, sinceramente, gostaria que isso
    jamais tenha acontecido ou venha acontecer, porque seria um “racha” na diretoria surreal,
    briga politica sempre teve, tem e terá, só espero que os eles tenham limite. Valeu Rei.

  • Sim Caca, acontece que apesar de o orçamento ser definido antes do ano em exercício, ele não é inflexível, então pode sim ter alterações durante a temporada. E mais, lembro claramente que na época o corte de orçamento para o técnico foi notícia em tudo quanto é lugar. E inclusive foi comentado pelo próprio Marcos Braz. O que não eu particularmente não sabia, (e aí pode ser que tivesse notícias na época e talvez eu apenas não tinha visto) era que o corte foi decisão do tal conselhinho. O mesmo conselhinho que demitiu o Pelaipe apesar do trabalho ser considerado bom internamente. O mesmo conselhinho que foi criticado por absolutamente todas as chapas de oposição no último pleito, por n. O mesmo conselhinho comandado pelo BAP, que fez diversos comentários públicos criticando o Jorge Jesus e alguns jogadores naquele ciclo de 2019/2020. E o que o Jorge Jesus fez de errado para merecer críticas? Fechou o futebol do Flamengo, e afastou o conselhinho das decisões na época. Nada é por acaso, nada é sem objetivo, a briga política sempre esteve e sempre estará aí.

  • Hoje não é qualquer jornalista e qualquer lero de jornalista que me faz ir na onda. Esse papo
    do Eric Faria, no mínimo, está “muito estranho”, o flamengo na questão orçamento, nunca
    funcionou e “não funciona assim.” Vamos aos fatos. No início do ano o clube faz previsão de
    quanto vai entrar de grana e quanto pode gastar, e a partir dai, elabora uma coisa chamada
    “ORÇAMENTO”. e dentro orçamento, valor destinado ao futebol, e ai se inclui, técnico,
    jogador, etc. Pelo que disse Eric Faria, orçamento é coisa que não existe no flamengo, você
    pode até acreditar no LERO do Eric, eu não acredito. Sugiro consultar a página do clube que
    vai descobrir que o orçamento do flamengo é PÚBLICO, isso mesmo, você tem acesso.

  • Então o maior culpado de o Flamengo não ter ganho o Brasileiro,copa do Brasil e libertadores foi o Landim.

  • Se o Flamengo deixou de trazer o Leonardo Jardim por causa dessa picuinha e o Rodolfo Landim não demitiu metade dessa galera, então o próprio Landim deveria ser expulso do Flamengo. Permedos um ótimo técnico ou até opções de nível parecido por pura disputa política interna. Já está mais do que provado que o modelo de gestão amador é extremamente maléfico para os clubes de futebol. E pior, o Flamengo e aqueles que o seguem não percebem que nossos verdadeiros concorrentes são os clubes mundiais que usam de modelo profissional. A liga dos Estados Unidos acabou de passar o futebol brasileiro em faturamento anual. Eles já levam jogadores jovens que seriam titulares por aqui. Eles já nos atropelaram, o povo que não percebeu ainda. E isso sem contar a distância pra Europa que não pára de crescer. O futebol brasileiro está agonizando.

  • Agora fica a pergunta se pagava 4 e meio o JJ então a pedida de Galhardo não foi alta,ele pediu 4 milhões,considerando alta do dolar e desvalorização da nossa moeda,não foi uma pedida absurda,se o JJ é um camisa 10 ele também é?porque JJ e cheio de marra está já se achando,só vem se for mandado embora? Quem e o Benfica na fila do pão? Nos mesmo desmercemos o clube que torcemos,se ele pediu 5 com uma conversa viria por 4 e meio e pronto…