Estádio na Barra: Flamengo e Prefeitura avançam em negociaçã6

Landim e Eduardo Paes chegaram a acordos em diálogo sobre possíveis locais para construção


Por: Isabela Reis

O Flamengo avançou mais uma casa na procura de um espaço para construir seu estádio próprio. Com o objetivo de conseguir a liberação de uma área na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, o presidente Rodolfo Landim se encontrou com o prefeito carioca Eduardo Paes neste domingo (03). Na conversa, o dirigente rubro-negro, que estava acompanhado do CEO Reinaldo Belotti, apresentou os projetos de terrenos que estão na mira do Mais Querido e recebeu o apoio de Paes.

Eduardo Paes se comprometeu em colaborar com o Flamengo e verificar a disponibilidade dos locais selecionados. O principal foco do Mengo é o Parque Olímpico, porém, por ser privado, seu uso requer a liberação das cinco entidades que o controlam, sendo elas: Governo Federal, Prefeitura do Rio, Concessionária Rio Mais, Comitê Olímpico do Brasil (COB) e a empresa GL Events. A concessionária, dona do terreno, já expressou publicamente sua vontade de liberar o espaço, o que pode facilitar os trâmites. O plano de Landim é construir o estádio na área em que estava localizado o parque aquático, e hoje está vazia.

Ganhe dinheiro com vitórias do Flamengo!

O plano rubro-negro não incluiria o Parque Aquático Maria Lenk e a Jeunesse Arena, por serem construções mais distantes da área planejada. O Flamengo ainda estuda outras possibilidades para o projeto, todas localizadas nas redondezas da Zona Oeste, como o terreno do extinto Parque Terra Encantada. O local também é privado, pertence ao grupo mobiliário Cyrela, e já foi descartado em 2017 pelos altos valores pedidos na negociação da época.

O desejo do estádio próprio segue cada vez mais em alta no Mengo, em especial em meio as discussões sobre a concessão definitiva do Maracanã. Na última semana, após uma briga na Justiça, o Vasco ganhou o direito de usar o estádio a revelia de Flamengo e Fluminense, os atuais donos da licença.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  • O Flamengo foi tratado como burro de carga. Socorreu o poder público e recebeu em troca uma bofetada. Esse é o perfil dos políticos brasileiros, não se pode confiar, não se pode esperar consideração, nem tampouco arcar com as despesas que seriam do estado e ainda passar por humilhação. Há muito que o Flamengo merece o seu estádio próprio. Há inúmeras parcerias que se pode fazer sem que a construção venha onerar o clube.

  • Barlletta, parece que usaram o termo “a revelia de” como sendo “desconsiderando”, que é um sentido não encontrado na internet entre os significados do termo, apesar de dar a impressão de ser um sentido usado regularmente.

  • Os dirigentes do Flamengo precisam entender que o clube precisa de um estádio próprio, pois pela grandeza não podemos ficar dependendo do Maracanã, cuja a posse é do governo estadual do RJ.
    Faça uma campanha com os torcedores e verá o quanto irão arrecadar para a compra do terreno e a construção do estádio.
    #flaestadio

  • Revelia: quando o réu é comunicado oficialmente do processo e não se defende. O artigo 344 do Código de Processo Civil, descreve a revelia como o ato de o réu deixar de se defender, mesmo tendo sido citado, ou oficialmente informado, por ato da justiça, da existência de um processo judicial contra ele. “O QUE NÃO FOI O CASO!”

  • Boa tarde!

    Já passou da hora do flamengo ter seu estadio, para de se humilhar e segurar a barra do maracanã, deixa esse estádio para os demais clubes.