Coluna do Torcedor: “Será que estamos preparados para mudar pro esquema da moda?”

(Apressados que querem uma resposta rápida sem entender o contexto podem descer ao 14o parágrafo lá embaixo no texto)

De tempos em tempos a Europa gera e vive sua revolução tática

Esquema do Chelsea, campeão inglês da temporada passada

no mundo do futebol. Algo que (quase) sempre é seguido e admirado pelo resto do mundo. E a moda agora é atualizar os esquemas que eram a “sensação” até dois anos atrás (4-3-3 ou 4-2-3-1 ou 4-1-4-1) para uma “nova” versão com três zagueiros (re)batizada de 3-4-3!

Nada mais nada menos que quatro das cinco melhores equipes da Premier League Inglesa adotaram o 3-4-3, incluindo o campeão Chelsea, que, aliás, perdeu a final da Copa da Inglaterra para outra equipe que também adotou a moda do 3-4-3, o Arsenal.
Arsène Wenger “copiou” o esquema de Antonio Conte, do Chelsea, e se sagrou campeão da Supercopa da Inglaterra
Alemanha, campeã da Copa das Confederações, também jogou no 3-4-3

Até mesmo seleções como a Itália e a campeã Alemanha reposicionaram seus jogadores para aderir ao 3-4-3. No caso dos germânicos, que venceu a Copa das Confederações atuando com Mustafi, Rudiger e Ginter na zaga, podemos dizer que sim, houve sucesso, mas não podemos esquecer que aquilo pode ter sido apenas um “teste” de J. Löw e não uma mudança definitiva.

Já na Itália houve o oposto. Após a saída de Conte, o 3-4-3 com Barzagli, Bonucci e Chiellini na zaga deu espaço ao 4-4-2 clássico re-criado por Ventura. Como a Itália não foi campeã de nada mas também atuou muito bem com Conte, não podemos cravar ainda que Ventura abandonou de vez o 3-4-3 pelo 4-4-2. Pode ser apenas um teste, como pode ser também uma nova forma de jogo. De qualquer forma, vale o destaque.
Itália tem, como característica história, atuar com três zagueiros

 No resto da Europa a tendência está em andamento sem percebermos

Nos campeonatos Alemão e Italiano a mudança para o esquema da moda foi pouco sentida, pois eles têm uma cultura de variação tática e mudanças progressivas. Apenas o Hoffenheim e o Borussia Dortmund o usaram de forma definitiva na Bundesliga.

Na Itália, além disso, usar esquemas com três zagueiros é algo corriqueiro desde que a bola chegou por lá! Por isso nem reparamos que a Juventus usou o 3-4-3 desde o início da sua era de glórias recentes, com Bonucci e Chiellini quase sempre jogando ao lado de Barzagli. Mas havia alteração para o famoso 4-2-3-1 sempre que desejava, ou até iniciando jogos nesta última formação (neste caso Barzagli dava lugar a Cuadrado, que entrava no meio).

A Espanha parece ter sido a única que não gostou do 3-4-3. Porém, só parece… porque no final da temporada pudemos até mesmo notar alguns jogos com Piqué, Umtiti e Alba fazendo o trio defensivo no Barcelona.

Barcelona de Luis Enrique, em alguns momentos, jogou no 3-4-3

Mas como funciona esse 3-4-3 da moda atual?

A verdade é que qualquer equipe pode já ter atuado no esquema da moda sem sequer termos notado. Isso porque o velho 3-5-2 se comporta como o novo 3-4-3 dependendo das características da equipe e das condições de jogo. Basta que se abram dois pontas e deixem dois meias com capacidade de criar jogadas, ajudando os laterais ofensivos e, pronto, já está montado o esquema (pelo menos ofensivamente)!

Posicionamento defensivo do 3-4-3

Sem a bola, os times se assemelham muito. Eles se defendem numa espécie de 5-4-1 com os três zagueiros bem plantados e os laterais (que são ofensivos com a bola) recuando até a linha de zaga. Os dois pontas do ataque voltam para ajudar a linha dos dois meias centrais (observem que na Europa não há mais distinção entre só volante ou só armador, os meias tem que atuar em ambas as funções). E o centroavante, seja ele fixo, ou flutuante, fica esperando a bola do contra-ataque.

Ofensivamente o 3-4-3 é mais evidente com 2 meias centrais, 2 laterais ofensivos e 3 atacantes,

Posicionamento ofensivo do 3-4-3

que aí sim, dependendo de suas características, atuam tabelando mais com os laterais ou mais com o centroavante. Os zagueiros abertos tem que ser rápidos para o caso de contra-ataque, e o central precisa ser bem tático pois é ele quem vai “guiar” o posicionamento defensivo.

No Brasil já houve algo parecido

Num passado nem tão distante, dois técnicos brasileiros tiveram sucesso atuando com três zagueiros. Felipão ganhou nossa última Copa do Mundo com Lúcio, Edmilson e Roque Jr. Entretanto, seu 3-5-2, no início, flertava com o 3-4-3. Isso porque Juninho Paulista iniciou a competição de titular, com Ronaldinho e Rivaldo atuando mais adiantados pelos lados. Só com a entrada de Kleberson no lugar de Juninho, do meio para o final da Copa, é que passamos ao 3-5-2 de fato. Assim, Ronaldinho atuou mais centrado, com Rivaldo solto no ataque ao lado do Ronaldo.

Seleção de Felipão foi campeã do mundo com três zagueiros

O outro técnico foi Muricy. Tricampeão brasileiro pelo São Paulo jogando com três zagueiros, entre os quais participaram da campanha: Miranda, Fabão, Alex Dias, Lugano, Alex Silva, Breno

Muricy foi tricampeão brasileiro atuando com uma defesa sólida

e Edcarlos. Todos eles atuando no 3-5-2, mas curiosamente, já dando sinais de que um 3-4-3 era possível.

Muricy dizia que o 3-4-3 podia funcionar no Brasil mas os zagueiros precisavam ter saída de bola. Ele estava em processo de maturação de sua equipe no momento em que deixou o São Paulo mas isso mostra que no Brasil há espaço para que as coisas funcionem também. Basta ter jogadores com as características certas.

Enfim, será que o Flamengo poderia atuar no 3-4-3?

A resposta é sim. Temos jogadores para atuar pelo meio e pelas pontas, laterais ofensivos e centroavantes que sabem se posicionar. A única coisa que nos falta são zagueiros com inteligência tática (aliás, falta em todo Brasil), principalmente para fazer aquela função central. Porém, como estamos no meio da temporada, Rueda teria bastante tempo para ensinar, treinar e testar nossa trinca de zaga até o ano que vem.

Além disso, a dupla de volantes (seja ela quem for) é o grande problema da equipe até agora. Se não conseguimos achar uma dupla ideal, por que não abandonar de vez esse tipo de posição que já está obsoleta no resto do mundo?

Nosso trio de ataque manteria as características com Everton (Vinicius), Berrío (Geuvânio) e Guerrero (Vizeu). O meio ficaria com Trauco (Renê), E.R. (Arão/Paquetá), Diego (Mancuello/Conca) e Rodinei (Pará). A defesa manteria os jogadores atuais. Mas, para a posição de zagueiro central vejo apenas duas possibilidades (não significa que darão certo): Rhodolfo e Rômulo.

Neste esquema, Rhodolfo seria o “terceiro” zagueiro

Rhodolfo mostrou muita inteligência tática, pois veio recentemente da Europa. Todavia, sua técnica já não se mostra tão apurada. Nada que não possa ser treinado e melhorado. O problema seria a lentidão da zaga lateral com Réver e Juan.

Já o Rômulo tem técnica melhor, mas não foi possível perceber sua inteligência tática, pois perdeu espaço para Cuéllar e Márcio Araújo. O que pesa a seu favor é que sabe jogar de zagueiro numa eventual emergência. Por isso penso que seria mais fácil treiná-lo para uma função defensiva central, com saída de bola e cobertura da defesa. Neste caso Juan voltaria pra reserva.

A princípio, quem perderia espaço com essa formação 3-4-3 seria o Cuéllar, que é um bom jogador, mas não é tão criativo a ponto de barrar Diego ou Éverton Ribeiro, e nem tão defensivo a ponto de substituir qualquer um dos zagueiros. Mas como ele já se mostrou disposto, não duvido que possa ser uma grata surpresa em uma possível mudança de posição.

Restam agora as perguntas: será que ficaríamos ofensivos demais? Será que teríamos a proteção defensiva adequada? E o equilíbrio do time?

Tudo isso deveria ser treinado e testado ainda este ano. Contudo, acredito que temos grande potencial para dar certo. Neste esquema, Diego e Éverton Ribeiro devem ser defensivos, sem ser agressivos. E devem ser ofensivos, sem ser irresponsáveis. Creio que ambos têm maturidade para tal, como seus reservas.

Rômulo poderia ser testado como terceiro zagueiro. Volante atuou na zaga contra o Vasco, no primeiro turno do Brasileirão

Diego já demonstrou que é inteligente o suficiente até para atuar de falso volante, algo que fez diversas vezes com Zé Ricardo. Então não seria problema algum atuar como meia de estilo europeu, voltando e avançando. O mesmo podemos dizer de Éverton Ribeiro, que não é um exímio marcador, mas também não é um burro defensivo, porque ele já foi lateral no passado. Sua consciência tática o permitiria ser um dos dois homens de meio com certa facilidade.

Nossos reservas Mancuello, Conca e Arão também já atuaram tanto de volante quanto de armadores, em determinados momentos. Então, eles sabem como é. Isso tudo sem falar que a proteção do sistema defensivo com três zagueiros, quando bem treinados, é maior.

Por tudo isso, é possível  afirmar que temos elenco para atuar satisfatoriamente no 3-4-3. Se dará certo ou não, se seremos campeões ou não, infelizmente, não depende apenas de uma equipe só.

A análise tática apresentada aqui foi apenas uma conjectura sem qualquer evidência de que Rueda esteja pensando em mudar o Flamengo. Mas caso o faça, será muito bem vinda!

Bruno Prado

___________________________________________________

Quer ver sua coluna publicada aqui no site? Envie para o e-mail redacao@colunadoflamengo.com 

Veja mais:

Veja também

  • Parabéns pela coluna, Ótima visão, bem explicada, um pouco grande, porém deu pra ler por ser um texto muito bem feito.

  • Muito grande pra ler… Vou esperar virar filme

  • Concordo em partes, poderia muito bem jogar no 3-5-2 com o Cuellar numa linha atrás de Diego é Ribeiro com Everton e Pará/Rodi abertos e Guerrero e Geuvanio/VJr/Berrio na frente. Teria o Cuellar pra ajudar na recomposição já que nossa zaga é lenta e fazer a transição sem Diego ou Ribeiro terem que voltar tanto pra iniciar jogadas

  • Gostei da idéia de treinar o Rômulo na função, porém no meio não tem como não ficar com pelo menos 1 volante de oficio mesmo, em todos esses times que
    você citou tinha um jogador de marcação pelo menos, no nosso caso eu ficaria com Arão ou Cuéllar, e na lateral esquerda colocaria o Éverton, dando assim
    mais qualidade ao time e liberando uma vaga p/ Vinicius jr, Berrio ou Geuvanio. Eu prefiro o Vinicius logicamente kkk. Ficaria assim minha escalação(opinião):
    D. Alves
    Réver Rômulo Rhodolfo
    Pará Arão/Cuéllar Diego Éverton
    E. Ribeiro Vínicius Jr.
    Guerrero

  • Vaz como terceiro homem, poderia dar certo, boa estatura e um pouco mais de liberdade pra sair jogando.

  • O esquema correto para equipe do flamengo é o 3-3-3-1 do Bielsa

  • Zero chance. Pra esse esquema dar certo
    os zagueiros tem que ter boa saída de bola e principalmente, serem rápidos. Então a onda nem pra começar

  • Debate interessante mesmo. Em 2009 Airton chegou a jogar quase como um terceiro zagueiro protegendo a Zaga. Acredito que não seria tão diferente do que temos hoje. Se colocarmos o Cuellar (ou o primeiro volante) mais “preso” a posição, quase entre os zagueiros, o time já ficaria na tal formação inovadora em 3-4-3.

    Nossos laterais estão longe de serem excepcionais. Até apoiam direitinho (as vezes) mas na marcação…. Se for para inovar e se “despreocupar” com a marcação dos laterais, abriria mão deles tb. viria com
    Diego Alves
    (defesa) Réver-Juan central (ou Léo Duarte) – Rhodolfo –
    (meio) Rodinei (Arão) – Everton Ribeiro – Diego – Everton –
    (ataque) Berrio (Geovanio)- Guerrero – Vinicius Jr

  • Belíssimo texto!!!!!!!

    acho que daria certo sim. O Flamengo precisa se adaptar a novas soluções táticas.

  • Funciona se o time tiver zagueiros rápidos para atuarem pelos lados e um zagueiro técnico para atuar pelo meio. No nosso caso temos zagueiros lentos caneludos, ia ser um show de horrores.

  • Boa coluna. Um debate embasado é sempre saudável.

  • E se vcs olharem o CHELSEA que foi onde o suposto 343 deu certo, nao passa das oitavas na CHAMPIONS LEAGUE, se for pra copiar, que copie de times vencedores como real madrid.

    • Entendo seu argumento, mas se inspirar numa formação não é tão simples…O Real tem Kroos, Casemiro, Marcelo, CR7… jogadores que, infelizmente, não tem nem como comparar com os nossos. SRN

  • Esquema da moda????? Isso é mais velho que andar pra trás, os times ainda utilizam, seja aqui ou fora, na minha opinião esquema tático é uma constante, não se define esquema em maneira alguma, sentido algum, tudo é variável conforme a movimentação dos jogadores e principalmente da posse da bola, a principal ferramenta do jogo. Portanto meus amigos, vemos isso em quase todos os jogos que assistimos, com variações é claro, mas com certeza vemos, no Flamengo por exemplo, cansamos de ver zagueiros abertos e um volante no meio, uma linha de quatro no meio e três atacantes ou até mesmo 4 de acordo com a necessidade, tudo de acordo com a situação do jogo, na perca da bola varia muito de um 4-4-2 para 4-5-1, enfim, uma infinidade de variações, a unica observação que gostaria de colocar e que antes se usava um lateral, direito ou esquerdo para o 3° zagueiro, hoje no Brasil por exemplo, abrem os zagueiros e infiltram um volante para melhor saída de bola, na Europa estão adotando mais a opção com lateral na linha de três, entretanto como disse acima, isso é muito relativo.

  • E outra o Real Madrid não joga com 3 zagueiros e foi campeão de quase tudo temporada passada.
    O Flamengo tem que basear o melhor esquema com as peças que tem e não ficar se baseando que o Chelsea joga com 3 zagueiros , que o Barcelona jogava com 1…

  • O Felipão tirou o J.Paulista justamente pq viu que ficava um buraco no meio campo.
    Esse esquema no Flamengo não funciona pelo fato de obrigar Diego e ER a marcar mais é com isso prejudica a parte de criação do time já que desgastados mais os jogadores.

  • não so 3 zagueiros, o zagueiro em questão vira um jogador de meio campo na saida de bola, no chelsea que faz e o david luiz, hoje não temos um zagueiro que sabe sair jogando e essa saida e feita com o cuellar, e tambem tem que ser forte na recomposição, pois não teria os laterais na marcação. vi alguns times nesse formato e bom mas tem que ter um meio de campo com muita movimentação e que não erra muito passe, ter intenssidade.

    • E o vaz?

      Foi ironia… calma
      Kkk

  • Se for pra escalar o Flamengo nesse esquema, o Renê seria zagueiro, Everton na ala esquerda, Berrio na ala direita, ER e VJr nas pontas e o Diego jogaria ao lado de um volante, Arão, Ronaldo ou Cuéllar, talvez até mesmo o Mancuello, não precisaríamos de um “cão de guarda”, pois já teria 3 zagueiros.
    ————————Diego Alves————————
    —–Rhodolfo————Réver————-Renê—–
    Berrío———-Arão———-Diego——–Éverton
    ——–Everton R.——————Vinícius Jr.——-
    —————————Guerrero————————–

    Na hora de se defender, o time poderia se posicionar com duas linhas de 4 jogadores, ou uma linha de 5 e uma linha 4, ou até mesmo de 3 jogadores.

    Mas o esquema é o de menos, pra mim o que importa é a forma do time jogar, tem que ter aproximação, troca de passes com velocidade, criatividade, intensidade, etc…

  • meu 3-4-3 do flamengo:

    ——————diego alves
    ——–duarte——rever—–rodolpho
    rodinei—-arão(diego)-cuellar—–everton
    —-berrio(er7)—guerrero—–vinicius jr

  • Muito bacana a análise!
    Os problemas já foram levantados, e o principal seria zagueiros lentos e sem saída de bola.
    De qualquer modo, seria interessante treinar isso, nem que seja na pré-temporada.
    Pode surpreender adversários, sem dúvida.
    Com o elenco de hoje, eu montaria o time num 442, bem clássico, podendo alternar o meio mais defensivo, com três meias mais presos, e Diego solto na ponta do losango, ou num mais ofensivo, com Diego e ER soltos.
    No ataque Guerrero (Berrío) e VJr (Geuvanio ou Everton).

  • Artigo espetacular! Parabéns! &;-D

  • Se for analisar friamente os esquemas montados aí, o “New 3-4-3”, herdado do 3-5-2, apenas o Chelsea teve exito na última temporada, ganhando a Premier League. A Juventus jogou no 3-5-2 bem definido todo o tempo.

    O Rueda é um treinador que estava estudando na Alemanha olhando o time de Ancelotti que atua no 4231. Esse deve ser o caminho que vai usar na temporada.

    Agora, com todo respeito aos argumentos apresentados, mas o ideal não seria buscar copiar o projeto vencedor? E pelo que sei, quem ganhou tudo nos últimos anos foi o Real Madrid com seu simples e fácil 433 bem resolvido.

    • o real é 4-4-2 (losango em alguns momentos) meu garoto, basta olha o posicionamento ofensivo e defensivo
      benzema e cr7 flutuam no meio e pelos lados e trocam de “papéis” (centroavante, segundo atacante, falso 9)

      • Na verdade joga nos dois

        • claro, contra o barça em casa pela supercopa, era nítido um 433, tinha asensio pela ponta esquerda, e lucas vasquez pela ponta direita

  • O Flamengo não tem jogadores para jogar no 3-4-3….zaga extremamente lenta e pesada e os alas/laterais não tem qualidade…Trauco apoia bem, mas para defender é um desastre.Rene defende melhor mas não sabe cruzar…fora o comprometimento tático que nossos jogadores não tem.Futebol Europeu está ficando igual a basquete todo mundo ataca todo mundo defende.Se contratarem laterais e no mínimo um zagueiro de velocidade podemos pensar.

  • Nao temos jogadores com o perfil para este esquema. Os zagueiros são lentos, como ja disse o colunista. Mas a principal deficiencia são os meias, é loucura imaginar que Diego e ER7 teriam vigor fisico para desempenhar o papel de Kante, Matic ou Moses, que foram os destaques do campeonato do Chelsea. Jogadores que podiam fazer esse papel seriam Ramires e Renato Augusto.
    Eu ainda acho o esquema do Flamengo de 1981 o melhor, não precisa reinventar a roda. Nesse esquema ha espaço para Diego e ER7 nas posições de Zico e Tita.

  • Demorou até, 3-2-4-1 disfarçado de 3-4-3 para ter solidez defensiva, meio campo forte e velocidade nos contra-ataques.

  • Esse negocio de formação tática para o “esquema da moda” é coisa de técnico fraco, foi por isso que o ZR saiu do time, pois so tinha uma maneira de jogar, tanto que improvisou lateral como ponta, volante como ponta, pois nao saia de jeito nenhum do 4231.
    Acho que cada equipe tem um estilo de jogo que depende das características dos seus jogadores, e claro, um bom tecnico tem sempre 2 ou 3 formas de jogar, isso as vezes sem nem mudar nenhuma peça, apenas na movimentação dos jogadores, maior exemplo disso é o REAL MADRID, melhor time do mundo hoje.
    Claro guardada as proporções, mas vejo o estilo de jogo do flamengo, a cultura do flamengo se assemelha ao do Real Madrid, time ofensivo, com posse de bola, agredindo o adversario, e olhe o belo trabalho que o ZIdane faz la. A equipe joga no CLASSICO 433 quando tem o trio BBC, mas quando nao tem o BAle que é a cada 3 de 5 jogos kkkkkk usa o 442 com um losango no meio, com a entrada do isco.
    Isso depende muito das características do elenco, e hoje no flamengo o melhor esquema sem duvidas é um 442 com cuellar e arão de volantes revezando nas subidas ao ataque, E.R. e Diego no meio e la na frente o Everton/berrio/geovanio/VJ com o GUERRERO, variando pro 4231 em determinadas situações. POderia ate ser mais ousado e por o DIego de 2 volante e colocar outro ponta, e por ai vai.
    O 343 nao daria certo no flamengo primeiro por que a zaga é lenta e segundo por que temos poucos zagueiros, Leo DUarte nunca tem chance, a nao ser improvisar o ROmulo ali, ai no meio nao precisaria de um Lateral DIreito, colocaria o Arão.
    OU seja, no final estaríamos trocando os dois volantes por mais 1 zagueiro e outro ponta, mas não se precisa disso.

  • Na prática estaríamos trocando 2 cabeças de área por + 1 zagueiro lento na defesa? Imaginar que Diego e ER voltem para marcar é imaginar demais. É time de índio, só atacam.

  • Requer tempo para treinamento e alguns jogadores que não existem no nosso elenco. Zagueiros velozes principalmente. Ao contrário dos entendidos abaixo, eu gostei do texto. Melhor que muitas porcarias que lemos na coluna.

  • Não funciona pelo simples motivo que o jogador brasileiro é preguiçoso e burro demais pra esquemas táticos, talvez se pegar uma molecada e alguns pernas de pau como o Jair faz no Botafogo e o Carille faz no Corinthians funcione, mas com um elenco cheio de estrelinhas que se acham maiores que o técnico fica complicado. Diego e ER, Guerrero, Everton e Berrio numa linha de frente onde não há um volante e um LE ruim de marcação, com uma zaga lenta dessas seria sacolada em cima de sacolada. Qualquer esquema tático só funciona no Brasil se o time estiver vencendo e ganhando títulos, caso contrário, pode ser o melhor esquema do mundo, se perder 3 ou 4 seguidas o técnico vai rodar.

  • Boas ideias,vem falando isso faz tempo, termos muitos zagueiros, volantes e meias no Elenco.

  • Por mais que vários times tenham mudado, só tiveram um destaque e volume de jogo os que encontraram alguém rápido pra jogar pela zaga lateral, como no Chelsea.

    O Renê poderia ser esse jogador: rápido, marca bem.

    Everton Ribeiro e Diego no meio deve ser lindo de ver jogar em situações de jogo. Tiraria um dos pontas, voltaria com o Ribeiro pra posição dele, e entraria com Cuellar (nossa espécie de Kante colombiano kkkk)

    Em resumo, gosto desse esquema pelo fato de oferecer algo que não se tem no Brasil: novidade! Como vai marcar os meia? Todos já estão acostumados a espelhar o esquema é encaixar marcação. Dificulta muito.

    Variações como essa gerariam novas opções e dificuldade para os adversários

    Mas, não precisa ser totalmente ofensivo. O Chelsea jogava com Kante e Matic muitas vezes. O coletivo equilibrado vai ser mais efetivo que peças ofensivas por si só.

    O Corinthians está aí pra mostrar que organização é mais eficiente que valores individuais. Diego e Everton Ribeiro não são jogadores pra destruir e ter pegada no momento defensivo.

  • Rever é extremamente lento. Ele não funcionaria de jeito nenhum.

    • Réver é zagueiro espanador, pra jogar com ele tem que ter um zagueiro jovem e mais técnico, se o Juan fosse uns 15 anos mais jovem daria uma dupla imbatível.

  • Tbm achei a analise fraca mas cada um tem sua opinião. O Chelsea jogava no 3-4-3 somente num momento ofensivo no momento defensivo virava um 5-3-2 básico. Acho q ai que entraria o esquema no Flamengo com Everton e Berrio de alas, ER e Diego na armação, Cuellar na volancia e na frente Guerrero e Vinicius JR.

  • Até daria pra fazer um teste em alguma partida menos relevamte ou em jogos treinos, mas colocaria o E.Ribeiro no lugar do Berrío, e pra posição do meia direita/ volante colocaria o Cuellar, e pro lugar do Rodinei colocaria o Arão, assim o time não perderia tanto poder de marcação no meio, e ainda teria qualidade na saída de bola com Cuellar e Arão, sem falar que Trauco jogaria naquela que pra mim é melhor posição pra ele, mais avançado.
    https://uploads.disquscdn.com/images/182c77bd4370e3d6d1e52a1b93b2b35f17513b4799f28a308d7a1b9f2974656a.jpg

  • Péssima análise tática!!! O Flamengo já marca ruim e tu queres mudar para um esquema q piorará tal situação. Menos…

Comentários não são permitidos.