Para comentarista, o foco é não deixar Muralha comprometer: “É ele e acabou”

A maior dúvida de todo rubro-negro, visando a final da Copa do Brasil, foi respondida. Alex Muralha será o goleiro titular no confronto. Sem contar com Thiago, suspenso, e Diego Alves, não inscrito, o contestado camisa 38 vai defender a meta flamenguista no Mineirão.

Para dar mais ritmo ao arqueiro, o técnico Reinaldo Rueda o escalou diante do Sport, na vitória por 2 a 0 no último final de semana. Sem ser muito exigido, Alex fez uma boa defesa em chute de Wesley e não demonstrou insegurança. Para Mauro Cezar Pereira, comentarista dos canais ESPN, o cenário diante dos mineiros, na finalíssima, deve ser diferente da encontrada contra os pernambucanos.

“O jogo tem noventa minutos. E neste tempo, o Muralha tem que ter um bom desempenho, o que não acontecia, quando escalado anteriormente. Contra o Sport, fez uma boa defesa e não comprometeu. Teve um grau de atuação seguro. E não existe outra saída. É tentar fazer com que ele não comprometa. Porque, obviamente, contra o Cruzeiro, o Flamengo vai ser atacado, o Cruzeiro vai criar situações de perigo, vai fazer com que o goleiro tenha que trabalhar”, analisou, no programa Linha de Passe.

Como o primeiro confronto, no Maracanã, terminou empatado em 1 a 1, há uma possibilidade do troféu ser decidido nos pênaltis. Contudo, Muralha não tem no fundamento uma de suas maiores qualidades (defendeu apenas uma cobrança no Fla). Para tentar melhorar este aspecto, a comissão técnica tem feito um trabalho especial com o goleiro.

“O Rueda treina penalidade direto. É uma rotina. Embora, curiosamente, no ano passado, tanto na Libertadores, quanto na Sul-Americana (dirigindo o Atlético Nacional-COL), não venceu nenhuma disputa de pênaltis. Não foi preciso. O time foi se classificando com bola rolando. Mas, tem o hábito de treinar. Todo dia tem treinamento com os batedores e os goleiros. E vem sendo feito um trabalho específico com o Muralha, tentando passar para ele o possível, para que se prepare adequadamente”, afirmou MCP.

Por fim, Mauro falou sobre a falta de planejamento do clube em relação aos goleiros.

“Agora, não tem muita discussão. É o Muralha e acabou. Tudo isso, na verdade reflete um erro de avaliação do departamento de futebol do clube. Porque apostaram em um goleiro mediano que é o Muralha, que entrou em uma fase muito ruim, e o seu reserva é um garoto que não foi testado. E o Zé Ricardo é responsável por isso, por não o testar no estadual. O Flamengo poderia ter testado o Thiago, para concluir que estava pronto para entrar no time e barrar o Muralha. Ou, “não está pronto ainda”, vamos contratar um novo goleiro. Não fizeram isso. Quando contrataram, na oportunidade, o Diego Alves, já era tarde demais, não tinha mais inscrição”, finalizou.


Veja mais:


Antes da partida contra o Cruzeiro, o Mengão tem mais dois confrontos. Nesta quarta-feira (20), encara a Chapecoense, pela partida de volta das oitavas de final da Copa Sul-Americana. Neste jogo, a tendência é que Diego Alves seja o titular. Já no final de semana, recebe o Avaí, na Ilha do Urubu, pelo Campeonato Brasileiro. A probabilidade maior é que Muralha jogue contra os alvicelestes.

Veja também

  • Vai ser essa aberração e ponto final, é o que temos.

Comentários não são permitidos.