Além da dor: Athletico escancara problemas do Flamengo em campo, mas deixa legado para fora dele

Por Gabriel Ferreira

O Athletico-PR atropelou o Flamengo por 3 a 0 na noite da última quarta-feira (27), e se classificou para a final da Copa do Brasil. E, mesmo que seja um resultado para se esquecer, o revés escancarou problemas do time em campo, sob o comando de Renato Gaúcho, além de deixar questionamentos importantes para fora dele, o que faz com que o Mengo tenha que lembrar e refletir sobre a derrota para seguir em frente.

Uma das lições que ficam do confronto é em relação a criatividade do Fla quando encontra times bem postados e com linhas compactas. Como prova, estão os recentes duelos contra Cuiabá, Fluminense e, agora, Athletico-PR, que usou uma linha de cinco na defesa e, com pouca amplitude do Mengo, teve facilidade para impedir o poderoso ataque do time carioca.


As melhores ofertas para produtos do Flamengo: aproveite desconto e brindes!


 

Essa característica, aliás, revelou outro ponto que deve ser levado em consideração para o futuro do Fla. Trata-se da leitura de jogo de Renato Gaúcho. Com dois gols de desvantagem na primeira etapa, o Mengo seguiu explorando pouco as beiradas de campo até o início do segundo tempo, quando o comandante Rubro-Negro colocou o ‘baixinho’ Michael, que incendiou a partida e ajudou Bruno Henrique – também pelas laterais – a crescer no duelo.

Também no setor ofensivo, outro “erro” do Fla foi na escalação de Andreas Pereiras mais à frente, fazendo a função de Arrascaeta. O jogador, que tem preferência por atuar como segundo volante – inclusive já deixou claro para Renato -, viu seu desempenho subir quando foi recuado.

PROBLEMAS LÁ ATRÁS

E não foi só na frente que o Flamengo teve dificuldade. Lá atrás, no setor defensivo, o clube também enfrentou uma noite daquelas. Isso porque, os comandados de Renato Gaúcho estiveram em boa parte do jogo desordenados e com problemas de cobertura (fotos abaixo). Em alguns momentos do confronto, a marcação tentava dobrar de forma equivocada deixando espaços para que Athetico-PR chegasse com perigo.

Além disso, o Mengo, que gosta de ter a posse de bola e geralmente constrói desde sua primeira linha defensiva, teve dificuldade em sair jogando e pagou caro por tomadas erradas de decisão, incluindo o lance que gerou o pênalti marcado para o Athletico.

Léo Pereira passa para Diego no meio, que recebe de costas, e é batido pela marcação. Na sequência da jogada, o lance prossegue e Filipe Luís derruba Renato Kayzer na área. Pênalti que Nikão bateu e abriu o placar no Maracanã. Vale destacar, contudo, que, antes dessa jogada, a transmissão da Globo havia revelado irritação de Renato Gaúcho com o zagueiro em uma jogada semelhante poucos minutos antes.

RELAÇÃO RENATO E TORCIDA DO FLA ESTREMECIDA

Outro ponto que merece destaque na dura eliminação do Fla é o indicativo da má relação de Renato Gaúcho com as arquibancadas. O treinador foi xingado e teve que ouvir a Nação gritar o nome de Jorge Jesus, técnico multicampeão pelo Fla. Na entrevista coletiva pós-jogo, o treinador minimizou a atitude dos torcedores e fez questão de citar que o português, assim como ele, também foi eliminado da Copa do Brasil, em 2019, pelo mesmo Athletico-PR.

Mesmo naturalizando o acontecimento, o comandante sentiu o golpe e, aliás, colocou o cargo à disposição da diretoria, que preferiu mantê-lo.

NOVA DECISÃO

Eliminado da Copa do Brasil e com os bastidores turbulentos, o Flamengo agora mira o Brasileirão. No sábado (30), o time de Renato Gaúcho volta a campo para encarar o Atlético-MG, pela 29ª rodada da competição. A partida pode ser determinante para o Mengo somar pontos e seguir sonhando com o tricampeonato do torneio. Atualmente, o Rubro-Negro está na quinta colocação.

Veja também

Participe da conversa

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *